top of page
  • Foto do escritorGabriel Noboru Ishida

Estilo Decor - Boho & Boêmio

Atualizado: 17 de jan. de 2023

Generalidades: um conjunto de tendências sob um mesmo nome


O estilo Boêmio (em inglês, Bohemian) ou Boho (contração/giria) é definido teoricamente pela ausência de estrutura na linguagem decorativa, porém não deve ser confundido com o Ecletismo, que é uma linha estética generalista que permite todo e qualquer elemento decorativo a partir da individualidade. Mas isto não é verdade quando se trata do Boho, pois se cavarmos mais a fundo este conceito, vamos descobrir que sua derivação sócio-histórica implica por um lado um padrão cada vez mais específico de cores texturas e idéias, e por outro, a mensagem implícita relacionada ao despojamento hippie e pós hippie. E este último, já nos foi apresentado em diversas versões que dizem quase a mesma mensagem final, conforme o contexto: hipster, pós beatnik, naturalista, não industrial e absolutamente tendendo ao artesanal, de baixo consumo, ciclo, descarte e também baixa produtividade.

Dessa forma, o climão de casebre simples com itens feitos com tempo e pelas próprias mãos da comunidade, eventualmente coloridos mas principalmente com a cor das fibras naturais (sim existe uma predominância das cores terrosas e organicas) e também sendo marcado pela presença de vegetais, couros, madeiras, sisais, etc. são fundamentais para que se possa desenhar este cenário. O que também implica a valorização do tempo e do trabalho manual humanizado, indo na contramão da industrialização escravagista do comércio global, longe dos olhos das vitrines e linhas de montagem.

Portanto, entender o Boho ou o Bohemian, está mais relacionado à compreensão de uma posição politica e econômica histórica, do que a uma discussão de um padrão estético específico, paletas de cores ou memorizar itens que combinam ou não: isso seria infantil.

Vale anotar aqui, que todo o cenário urbano é derivado do amálgama de toda as pessoas, e não é minha intenção aqui em momento algum, criticar o capitalismo ou defender sua redução. A realidade é muito mais complexa que isso, e minha opinião pessoal é que não estamos à altura de palpitar sobre a inércia orgânica histórica em nível mundial. Mas voltando ao tema...


O Boho é menos urbano, ou mais anticapitalista (no sentido ideológico que as minorias de contraculturas do século passado atribuíram), enquanto o Bohemian, que teve sua trajetória através do beatnik e posteriormente através de uma contracultura mais urbanizada, vai admitir elementos tecnológicos e industrializados, estando mais relacionado ao despreendimento da formalidade empresarial e muito ligado a estética de elementos relacionados a música, o rock e outros ritmos. Estes também sustentariam um discurso antisistêmico, mas a partir de outros valores.

E de forma integrada e harmônica, também integra objetos reciclados ou que dêem essa idéia: com aparência retrô, old school, ou que pelo menos evoquem rastros de um estilo de vida jovem, cult, com o tempero da experiência e de alguns anos de amadurecimento - junto com o envelhecimento estético e tecnológico de certos itens, eventualmente buscando indicar posicionamento social anti-consumista. A verdadeira reciclagem e o controle do impulso pelo sempre novo, é muito válido. Nesse contexto, devemos ter como analogia a realidade do vinil: frequências graves e agudas que não são registradas nos CDs e DVDs, e atualmente em formatos de arquivo de mídia, estão presentes no som do vinil e fitas magnéticas, e portanto, o lowfi (sem ruídos, mas tecnológico, e contraditoriamente entendido como ruidoso e antigo) é superado por uma maior riqueza final no audio do hifi, apenas realmente presente nos analógicos - e os ruídos ainda podem dar um charme adicional e uma pitada de saudosismo.

Deixando de lado toda a abordagem sociológica política histórica, que serve apenas como centro de referência inteligível e pivot organizacional, vamos listar itens obvios destes estilos, que podem ser confundidos facilmente:

- Presença de elementos naturais como madeira rústica, cestas, vasos cerâmicos, sisais, tramas e fibras naturais (mais no Boho).

- Presença de fibras de algodão natural, com espessuras maiores (artesanal) de fios, muito algodão cru e possíveis padrões de tecidos artesanais coloridos, aceitando-se impressos também, desde que dentro da mesma mensagem (Boho)

- Muitas plantas (ambos)

- Nenhuma superfície cromada, espelhada, lapidada, que venha remeter riqueza material e opulência financeira, ou desconforto visual - exceto como detalhes de aparelhos e itens antigos, por exemplo (admissíveis no Bohemian).

-Forte presença de tecidos e elementos em madeira, remetendo a percepção a uma era pré-industrial, até mesmo tribal. Tecidos mais refinados: Bohemian.

- Aceita elementos étnicos de tribos do mundo inteiro, exemplo, indonésios, indio norte americano, polinésio, indiano, médio oriental, etc. (Boho)


Em uma classificação de minha autoria, divido em três subestilos:


O Boho nordico/anatólico/naturalista


Com iconografias religiosas ou astrológicas, ou especificamente étnicas/culturais, voltado mais para o despojamento puro e paletas terrosas/offwhite, leve e luminoso. Ou pode ser associado a um naturalismo puro primordial muito ligado ao chão mesmo.




Boho oriental-persa-indiano-polinésio


Soterrado sob cores e iconografias orientais e persas, indianas, com muita referencia a ídolos, simbolos místicos e elementos que possam referir a xamanismo, hinduísmo, budismo, etc., também muito mais relacionada a cultura hippie, psicodélica e pagã. Busca também evocar a sensação de experiências psicodélicas como DMT, ayahuasca, cogumelos alucinógenos e experiências teoricamente extra corporais; É a estética das camisetas Tie Dye, que também faz parte desse contexto. Estende assim, a premissa da fusão existencial sinestésica entre os elementos do mundo e com o próprio corpo.



Boho beatnik ou hipster


Aceita elementos tenológicos mas com aparência preferencialmente envelhecida, ou minimamente harmônica. Pode até ter referências persas/anatólicas/orientais, mas não predominantemente. Está mais associado a subgrupos e contracultura não opulenta urbana, de hábitos notívagos e flanadores. Os hipsters e beatniks, e os mods, e tantos outros grupos que caberiam perfeitamente nesse grupo: com enorme frequência e predominância, guiados pelos trilhos dos estilos musicais.





Dos dicionários não convencionais e coletivos:


Boho, sinônimo de boêmio, informal, gíria.

Boho: Um estilo feminino com influência construtiva a partir de diversos estilos boêmios, hippies, beatniks , popular na primeira metade do século 21.


Boêmio (bohemian): um artista ou escritor inconformado ou não convencional, pessoa que prioriza desfrutar a vida, frequentador de locais festivos, bares e afins.

Um tipo de roupa não convencional, uniforme ou vestido. Bohemia: um lugar geográfico com este nome, cidade de Bohemia, na República Tcheca.


28 visualizações0 comentário

Comments


Featured Posts
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page